Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

THE CAR IS ON FIRE

AND THERE'S NO DRIVER AT THE WHEEL

29
Out18

O ano do pensamento mágico

Rita

jding.jpg

 

 

 

 

Sempre considerei que se examinar algo, torna-se menos assustador. Eu cresci no Oeste e temos esta teoria que se virmos uma cobra, se a mantivermos no campo de visão, ela não nos vai morder e é isto que eu acredito em relação a enfrentar a dor: quero saber onde está.  

 

Joan Didion

 

 

 

 

 

A Joan Didion é uma escritora que esteve casada quase 40 anos com o escritor John Gregory Dunne e este livro foi escrito após a morte súbita deste, no final 2003. Para piorar a situação, a filha de ambos tinha adoecido gravemente uns dias antes da morte do pai e viria a falecer em 2005, aos 39 anos.

 

Este livro assemelha-se a um trabalho de investigação jornalística na medida em que a autora procura incessantemente perceber o que aconteceu, como aconteceu, a razão para ter acontecido; debruça-se sobre o fenómeno natural que é a morte, sobre a doença e o luto. Pegando nas palavras da mesma: observar e analisar a dor era a única maneira de lidar com a situação, a única forma de a encarar.   

 

 

 

jdport.jpg

 

 

 

 Já li este livro duas vezes e a eloquência e acuidade do mesmo acertam-me sempre em cheio.

O luto é uma experiência muito pessoal e que diverge de pessoa para pessoa, mas em última instância o sentimento de perda é universal e acho que qualquer pessoa que já tenha perdido alguém encontra nas palavras de Didion uma expressão - e que expressão - dos seus próprios sentimentos.   

 

 

 

(...) Está aqui a diferença fulcral entre o luto enquanto o imaginamos e o luto tal como ele é. A ausência interminável que se segue, o vazio, o exacto oposto de significado, a sucessão sem tréguas de momentos durante os quais vamos enfrentar a própria experiência da insignificância.  

 

"O ano do pensamento mágico"

23
Out18

Melhor notícia dos últimos 10.000 dias!

Rita

Os Tool estão de volta à Europa em 2019 e vão passar por Portugal a 2 de Julho.

 

Finalmente!

 

 

 

Ainda estou a digerir este anúncio. Há dez anos que estou à espera deste momento - mais ou menos a altura em que comecei a prestar verdadeiramente atenção à música deles.

 

Já lá vão doze anos desde o último álbum, o "10,000 Days", e a última vez que passaram por cá também foi nessa altura. 

 

Como estou sem grandes palavras que consigam expressar a minha excitação, aproveito só para deixar uma música sempre actual, a "Vicarious": 

 

 

 

 

 

 

 

 

Já fiz vários posts no passado sobre os Tool, se estiverem interessados no assunto podem ler mais aqui:

 

https://meter-maid.blogs.sapo.pt/boredoms-not-a-burden-anyone-should-3392

https://meter-maid.blogs.sapo.pt/schism-8394

https://meter-maid.blogs.sapo.pt/forty-six-2-1249

https://meter-maid.blogs.sapo.pt/parabola-2363